Delegados alertam para ação de estelionatários no fim de ano

A aposentada Sandra Maria Costa da Rocha, 69, foi surpreendida, em dezembro do ano passado, por uma ligação de supostos sequestradores, que diziam estar com uma arma apontada para a cabeça do seu filho mais novo.

A condição imposta pelos criminosos para soltá-lo era o depósito imediato da quantia de R$ 3 mil. Sem questionar, Sandra foi até o banco mais próximo e fez a transferência para a conta informada.

Somente após efetuar a transação bancária, Sandra decidiu ligar para o filho que, ao contrário do que imaginava, estava na escola, são e salvo. Só então a aposentada percebeu que havia sido vítima de um golpe.

Ela é apenas uma das vítimas de estelionatários, que aproveitam o período de festas de final de ano para agirem. De acordo com o titular da Delegacia de Repressão a Estelionatos e Outras Fraudes (Dreof), Oscar Vieira de Araújo Neto, o número de ocorrências desse tipo aumentam de forma considerável em novembro e dezembro.

A Polícia Civil do Estado não contabiliza o número de ocorrências relacionadas a este tipo de crime. "Como as denúncias podem ser registradas em qualquer delegacia territorial, não é possível quantificar o número de casos", explicou Araújo Neto.

Para o delegado, o recebimento do 13° salário é um dos fatores que motivam a aplicação dos golpes. "Nessa época, as pessoas recebem mais dinheiro, o que é um prato cheio para viabilizar esse tipo de delito", disse. 

Falsas ofertas

No entanto, segundo o delegado, são frequentes, também, outros tipos de golpes, como os que envolvem anúncios falsos de venda de produtos, planos de saúde e seguros de vida.

"Geralmente, os estelionatários anunciam em jornais e, quando a pessoa entra em contato, eles oferecem valores altíssimos para empréstimo. Mas, a condição para que sejam liberados é que a pessoa deposite, em uma conta bancária, uma quantia em dinheiro", afirmou.

Há, ainda, casos de criminosos que utilizam como arma histórias comoventes, envolvendo crianças, idosos, doentes e portadores de deficiência. Foi assim que a funcionária pública Gisele França, 42, perdeu pertences e documentos importantes no último dia 9 de novembro.

Gisele saía de um banco, situado num shopping de Salvador, quando foi abordada por um senhor de meia idade que pedia dinheiro para comprar uma passagem para o filho, que precisava viajar para um tratamento de saúde.

"Era um senhor simpático, educado, que se dizia pobre, humilde. Me sensibilizei e, enquanto tentava encontrar minha carteira, ele se ofereceu para segurar minha bolsa e desapareceu sorrateiramente", contou.

Perfil

Bem vestidos, com boa aparência e grande poder de convencimento. Assim o titular da 16ª Delegacia Territorial (Pituba), Nilton Tormes, define o perfil dos estelionatários.

"Esse tipo de criminoso tem sempre o papo agradável. A vítima se deixa levar por falsas promessas e vantagens, como altas quantias de dinheiro. Inocentes, as pessoas se deixam levar pela atração pelo dinheiro e vão se entregando, deixando pistas e acabam caindo no golpes", afirmou.

Segundo ele, mulheres e idosos são as vítimas mais frequentes, pois, para os golpistas, são alvos fáceis.

O rastro deixado pelo dinheiro utilizado no pagamento dos estelionatários é a principal pista para chegar até os criminosos. Conforme o titular da Dreof, Oscar Vieira, dentre as principais formas de investigação, a quebra de sigilo bancário do golpista é uma das mais eficazes.

"Na maioria das vezes, fraudadores e estelionatários não agem sozinhos. Quase sempre há um grupo por trás, dando suporte. Por isso, tentamos pegar o intermediador do golpe até chegarmos aos demais integrantes da quadrilha", disse.

Cuidados para evitar cair em golpes

Lugares – Locais com grande concentração de pessoas são os escolhidos  por estelionatários para agir

Dados – Nunca ofereça dados pessoais, número de documentos e informações referentes a contas bancárias ou senhas a pessoas desconhecidas

Lábia – Na maioria das vezes, criminosos utilizam histórias comoventes e são insistentes

Dinheiro – Desconfie de vantagens e de favores oferecidos por estranhos 

 

Fique atento em locais públicos

Compras – Esteja atento a sacolas de compras, carteira e  a bolsa. Procure não apoiá-las ou deixá-las aos cuidados de estranhos

Senhas – Nunca ofereça senha bancária ou de cartão de crédito a desconhecidos no ato da compra

Documentos – Evite sair com todos os documentos na carteira. Selecione apenas o necessário

Ajuda – Não aceite auxílio de estranhos ao utilizar caixas eletrônicos

Sem comentários

Escreva um comentário
Ainda não há comentários! Você pode ser o primeiro a comentar, comente agora!

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados com um **